Os impostos devem ser considerados no seu Plano de Independência Financeira e tratados com cuidado. Eles podem se tornar ralos por onde escoa seus rendimentos e seu suado dinheirinho.

Nosso país ostenta uma carga tributária astronômica que os mais otimistas estimam em torno de 35% em média. A Radio Jovem Pan tem uma campanha muito interessante chamada Brasil o País dos Impostos e descreve em cada data comemorativa a participação do governo nos ítens que gostamos de comprar.

A da páscoa é hilária. Segundo os narradores o governo participa da nossa festa de páscoa com quase a metade do valor dos itens que adquirimos nesse periodo do ano.

Os administradores públicos com senso de responsabilidade sabem que quando pagamos impostos estamos deixando de poupar e de consumir para entregar ao Estado uma parcela do nosso ganho. Esperamos, todos, que esse dinheiro seja usado com eficiência e retorno em serviços públicos de qualidade para todos. Ual, momento utopia.

Todas as vezes que vou falar do assunto fica um quê de apaixonado. Será que alguém consegue explicar a razão para um país ‘tomar’ dos seus cidadãos uma parcela tão alta dos seus rendimentos e da sua produção?

O IBPT tem um impostômetro em São Paulo para nos lembrar a todos o quanto pagamos de impostos.

Infelizmente o assunto não ‘cola’. Igual ao lula. A maioria da população (por deficiências educacionais) não consegue entender que paga tantos tributos (essa é a palavra certa).

Não se vê dedicação ao tema da Reforma Tributária no Brasil. São dezenas de impotos, taxas e contribuições.

No assunto tributos o Brasil vive um transtorno bipolar que se costuma chamar de complexo Belindia. Impostos de primeiro mundo como se vivessemos na Bélgica e serviços públicos e infra-estrutura como se vivêssemos na India ou na África.

Os impostos e os seus investimentos

Quando guardamos dinheiro no banco ou o aplicamos em qualquer tipo de investimento, incorremos em impostos e taxas as mais diversas. Desde a corretagem, IOF, tarifas de manutenção de conta, IR, taxa de custódia dentre outros. É preciso olhar com atenção para que as taxas não corroam o seu rendimento.

Seu dinheiro, seu problema. No seu Plano de Independência Financeira você é o Presidente, o Diretor Financeiro, o Diretor de Operações e tudo os mais. Sua vida é da sua conta.

É PRA JÁ!

Wikisite no Limão: http://com.limao.com.br/wikisite/educacaofinanceira/index.cfm

Miniblog no Limão: http://miniblog.limao.com.br/educacaofinanceira

No Twitter:  www.twitter.com/minhagrana

Fale comigo:  cleber.miranda@oi.com.br