Prezados, todos nós que assistimos aos acontecimentos relacionados com a morte do Rei do POP ficamos um pouco entristecidos gostando dele ou não.

Assistindo às diversas matérias que saem por todos os veículos de mídia ficamos sabendo o seguinte:

  • O aluguel da casa onde ele morreu custave US$ 100 mil/mês;
  • Ele morreu e deixou dívidas da ordem de US$ 400 Milhões;
  • Há relatos de que ele faturava, mesmo não lançando discos, US$ 19 Milhões/ano;
  • Ele se envolveu em diversos escândalos e a cada sentença ou acordo desembolsava fábulas em USD;

Lendo um livro dia desses vi uma história de que quando ele assinou com uma gravadora no início dos anos 1990 tinha um contrato na casa dos bilhões de dólares. Ela o maior vendedor do mundo e tinha muitos produtos licenciados. Michael era dono de muitas empresas,  inclusive dono dos direitos autorais das músicas dos Beatles, o que lhe rendeu a inimizade de Paul Mc Cartney.

Com muitos negócios lucrativos e recebendo direitos autorais até de obras alheias fica a pergunta: Como ele conseguiu desperdiçar tanto dinheiro?

Será que faltou educação financeira a um dos maiores artistas que já vimos no mundo?

Só o disco Thiller vendeu mais que o Roberto Carlos em toda a carreira.

Será que vale fazer qualquer sacrifício para satisfazer os caprichos e mimos que cada um de nós deseja? Será que podemos sacrificar o futuro em nome de prazeres no presente? As futuras gerações podem ser comprometidas porque queremos tudo-agora-mesmo?

Confesso que ainda estou curioso quanto a esse assunto. Se se confirmarem as especulações de Michael Jakson morreu quebrado seria a maior bancarrota pessoal de todos os tempos. Vejam esse post do Leonardo Siqueira http://reflexoescorporativas.wordpress.com/2009/07/01/como-o-homem-de-2-bilhoes-de-dolares-faliu/

Talvez ele tenha vivido como dizia em uma de seus  primeiros sucessos depois de adulto:

“Quando o melhor não e o bastante…”

Anúncios